Carma Amoroso

A “maldição” das relações que não vão pra frente. 


Creio que muitos já ouviram ou mesmo já pronunciaram a seguinte frase: “quem dera eu tivesse a idade de ontem com a cabeça de hoje” e as entrelinhas desse contexto querem dizer que a pessoa se deu conta que o tempo realmente não volta e isso claro tem um peso. 

O tempo nos dá uma bagagem que nos possibilita ou limita para que a caminhada siga, retroceda ou mesmo permaneça estagnada. Fazermos um balanço de nossas ações é como improvisar um inventário e levantando o que temos podemos decidir com mais clareza o que é nosso e o que não nos pertence, deste modo, conseguimos seguir em frente levando o imprescindível.

Há pessoas que viveram inúmeros relacionamentos e em todos esses aconteceram situações, por exemplo, covardes e desleais. Se a pessoa teve toda essa bagagem de troca relacional deveria ter manejo pra lidar com o outro de forma que as relações não chegassem ao nível de ferir a dignidade de quem quer que seja (sua ou do outro). 

O que deveria ser uma experiência de aprendizado vira um assunto mal resolvido dentro de nós e até que a gente aprenda à lição a história vai se repetindo.

Eu, Cigana Mah, ouço muito dos meus clientes a respeito de estarem cansados de sempre se machucarem, no começo até parece que vai dá certo, mas logo as coisas vão ficando nebulosas, o interesse murcha, as brigas ficam cada vez mais presentes, o barco fura e enquanto um está ocupado tentando concertar nem percebe que o outro já pulou faz tempo. 

Ficamos ali com o barco a deriva sem concerto a espera que o outro volte pra nos ajudar, às vezes chega quem provoque ainda mais desgastes ao barco outras já estamos tão machucados que o barco e a gente vira uma coisa só.

Mudam as pessoas, mas o contexto é o mesmo e a resposta pra isso não é que você que está vivendo uma situação como esta citada nesse texto está amaldiçoado é que falta percepção pra enxergar que o tempo pode ter dado uma enorme bagagem, mas não sabedoria suficiente para compreender que uma atitude diferente tem o poder de nos tirar do ciclo de repetição. Nem sempre estamos em condições emocionais, psicológicas ou energéticas para nos relacionarmos intimamente e por isso devemos procurar quem esteja apto a nos ajudar.

O relevante em toda nova caminhada é o discernimento por isso investir em nosso autoconhecimento é tão precioso. Conhecermos-nos leva tempo concorda? Agora imagine conhecer o outro. Relacionar-se requer paciência, mas principalmente percepção para enxergar que nem todo relacionamento deve ser duradouro. Não perceber a hora de por um ponto final nos carrega de bagagem e a sabedoria vai ficando sem espaço.  

E você nesse exato momento está descarregando a bagagem desnecessária pra sabedoria entrar em campo? A ficha só cai assim. 

Autoria: Cigana Mah 🌷
_________________________________________________
Oráculista na Consultoria: Astral Cigano

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Ao compartilhar cite a autoria.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo